Meu humor
Meu perfil
BRASIL, Sudeste, Homem, Italian



Arquivos

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 Genérico
 Blog do Guca
 giovana manzoli
 rogério castilho




Loja da Gorda
 


Apelo

ESCUDETTO

 

Partiu hoje da loja uma comitiva de marmanjos representando o melhor da Casa Verde em direção à Itália. Engana-se quem está pensando que nossos cuecas rumaram para ver o Papa ou apedrejar padres pedófilos. Para isso existe a imprensa e o Partido Comunista Italiano.

O que levou a homarada dos arrebóis a tornarem a Sorriento foi uma causa nobre e justa, para não dizer justíssima, pronto, está dito: justíssima.

Esta beldade abaixo (1,70 m, 45 anos... mama mia - e não é gato!), prometeu fazer strip-tease, caso a Roma Futebol e Regatas vença o disputadíssimo campeonato italiano 2009/2010.

- È vero! Voglio restare senza niente!

Necessário se faz explicar ao cliente de nosso estabelecimento que a tabela do campeonato italiano de calcio e fosfato, aponta para a Internazionale de Milão em primeiro, com 64 pontos, a Roma, com 63, e o Milan, com 62. Três candidatos disputando palmo a palmo o título de campeone da temporada.

Nossa comitiva embarcou ao país da pizza e da bracciola com o intuito de alertar aos jogadores de Milan e Inter que, caso eles comentam a insanidade de não deixar a Roma vencer o campeonato em questão, as consequências serão para lá de desagradáveis.

Nivaldinho, de estilete em punho, JR, de peixeira na cintura e Coutão com seu trabuco na algibeira rumaram para Milão a fim de esclarecer aos atletas que não se trata de fazer corpo mole e sim entregar o jogo - oras, onde já se viu!

Ou a Sabrina Ferilli aparece como veio ao mundo, ou los três amigos botarão arsênico no molho da macarronada desses marmanjos e vai virar o maior funiculi funiculá da paróquia.

- Che bella donna doppo una tempestà!

 



Escrito por Maridão às 11h49
[] [envie esta mensagem
] []





Evento

PREPARE E NÃO PARE

 

Começaram os preparativos para o grande evento da Casa Verde: a Páscoa na Laje.

Muita gente deve estar se perguntando o que a Hilary Clinton veio fazer no Brasil. Os desavisados imaginam que ela veio falar pro guverno brazilêro parar de fazer vista grossa pro Fidel Castro e deixar de passar a mão na cabeça do Irã. Nana nina.

Hi (assim a chamamos) veio em missão ex-secreta (acabo de revelar) para confirmar presença na sensacional e mitológica Páscoa na Laje que sucede todo ano aqui no estalecimento. A gente é cheio de exigência e o convidado só tem acesso ao regabofe se vier pessoalmente fazer a inscrição. Foi o caso. A menina que trabalha no caixa anotou direitinho o nome da secretária de estado dos estaduzunidos, ela e mais o esposo vão se aprochegar. A dama yanke levou recadinho que a homarada da Casa Verde não vai tolerar se o Biu começar a enfiar charuto nas damas. A festa é sua, a festa é nossa e é de quem quiser, mas tem de haver compostura senão vira convenção do petê.

- Oh my God! Quanta bardaninha cristalizada!

 

Outra celebridades tentaram em vão conseguir a camiseta que dá direito a entrada, mas a associação brecou. Tipo a Madona. Não rola. Apesar de ser festa família, o clima descontrai e começa um rala-e-rola instintivo. Nessa hora, o clima é fundamental, a intimidade é tudo. Se a Madona trouxer seu filho Jesus Luz, provavelmente o iluminado quebraria o clima sexual do evento - e, convenhamos, a gente não vai lá pra comer chocolate, né?

- Isso é que é amor entre mãe e filho!

A grande ausência nesse ano será o Coutão com seu regional. Infelizmente para nós e felizmente para ele, o bambambã das cordas arranjou uma amante muito rica e bem relacionada e o artista se arrumou num emprego público e dali não sai nem que a Dilma faça cirurgia de redução de beiço. Rildão, sempre solerte e solícito, por sua (dele) vez, desceu para Bertioga para pesar na barraco do Tone aquele pintado básico para alimentar os convivas.

Minha consorte, a desagradável Gorda, ficou de passar o feriado com a sua (dela) mãe e isso nos alegra profundamente.

A má notícia para a mulherada que está com a perereca com teia de aranha é que seu (da Gorda) motorista para a viagem será o Nivaldinho. Ele prometeu voltar a tempo - coisa que duvido, porque minha mulher vai dar o seu (dela) jeitinho de embaçar a vida do pobre. Tenho certeza que a Gorda vai tentar e conseguirá comprar o moleque com um trocadinho. Vai da iniciativa das freguesas cobrir a oferta e garantir sua (dele) presença no evento.

 



Escrito por Maridão às 11h10
[] [envie esta mensagem
] []





A festa continua

HOJE É CARNAVAL

Aqui no estabelecimento, como é de sapiência da dileta clientela, não adotamos o calendário romano, este mesmo heavy metal, AC/DC. Tampouco utilizamos o de Jacob que já conta mais de 5 mil anos de barbaridades desse degenerado chamado ser ou não ser humano. A foto abaixo do sempre desatento Dagomir Alvoso mostra o momento em que dois clientes da loja tentavam entrar no samba travestidos de homem - mas nosso segurança Marião obstaculou a tentativa dos maricos.

- Vou beijar-te agora, não me leve a mal, hoje é carnaval.

Nosso calendário lunático está com tudo e não está para poesia.

Agora que a plebe ignara volta dentro de um congestionamento monstruoso, depois de passar 5 dias naquela aglomeração anti-higiênica, nós da loja estamos dando o primeiro grito de carnaval da Casa Verde, e quem não estiver ouvindo que vá limpar a cera do zuvido.

Obama avisou que desta vez Michelle virá especialmente para portar o estandarte do nosso cordão. E que cordão tem a Michelle, valha-me santo papa.

- Vou beijar-te agora, não me leve a mal, hoje é carnaval.

Teremos um pintado na brasa que Rildão comprou na barraca do Horácio, em Bertioga. Vamos comemorar!!!

É tempo de congraçamento, não há mais tragédia a se lamentar, graças à folga do capeta. Na foto a seguir, do nosso editor de hipertexto, o hipertenso Dagomir Alvoso, vemos o instante em que o presidente da Escola de Samba Beija-Flor demonstra todo seu afeto à negra Pillar.

- Vou beijar-te agora, não me leve a mal, hoje é carnaval.

Lembram do Haiti? O que aconteceu lá mesmo? Alguém tem ouvido falar sobre as vítimas do terremoto? As ajudas humanitárias?

Ah, gente, esse assunto cansou. O negócio é mulher gostosa, cerveja gelada e secar os adversários na Copa Libertadores. Essa menina aí abaixo, é prima da moça que trabalha no caixa da loja e foi adquirida a preços módicos para me servir comunitariamente: duas mariolas e tudo bem, não se fala mais nisso.

- Vou beijar-te agora, não me leve a mal, hoje é carnaval.

Dane-se aquele povo, agora o assunto é a polêmica da música Lobo Mau no carnaval baiano. Carla Perez deve ou não deve cantar? Ivete Sangalo diz que vai cantar. Perguntado, Caetano diz que acha que ela deve. Ou não. Gilberto Gil falou mais de meia-hora sobre o assunto mas ninguém entendeu nada porque estava sem tradutor.

Não falem mais nada sobre o Haiti, por favor.

Estamos em plena Olimpíada de Inverno de Vancouver, aquela neve limpa, tombos maravilhos, vamos assistir uma desgraça com melhores imagens porque ninguém é de ferro. E para provar isto, nada pior que uma fotgrafia do sempre desatento Dagomir Alvoso no exato instante em que a mocinha aí resolveu fazer xixi na neve para derretar gelo. Tem gosto pra tudo.

- Vou beijar-te agora, não me leve a mal, hoje é carnaval.



Escrito por Maridão às 16h45
[] [envie esta mensagem
] []





Não enche!

Aqui na loja tá o caos com essa chuvarada que Deus mandou, basta conferir a fotinha que o sempre desatento Dagomir Alvoso fez da fachada do estabelecimento.

A gente está saindo de um sufoco que não tem igual nem tamanho. Quer saber? Para isso estamos aqui, jovem fofoluto cliente: depois do terremoto do Haiti, fomos surpreendidos por um pedido do não menos presidente Bill Clinton. Queria o grisalho malvadão que enviássemos ao Haiti um carregamento de bardaninha cristalizada para salvar aquele povo faminto que come bolacha de terra como se fosse pintado da laje, made in Rildão. O problema é que o U.S. Navy One chegou ao porto de Bertioga com uma semana de antecedência e não deu tempo de arrancar todas as bardanas para suprir o pedido. Resultado foi que o bote dos gringos ficou esperando no porto e para passar tempo os marinheiros comeram todas as vagabas, sendo infectados com a velha e boa gonorréia. Bem feito, quem mandou enfiar o bilau no primeiro orifício que aparece, né? Missão humanitária é o cacete!

Bolacha de Terra do Haiti - a única com vitamina T

Para ser franco montoro, eu mesmo não estava satisfeito com o pedido feito tão às pressas. Na onda da solidariedade, muita gente se aproveita. Foi o caso de Bill. Nada de mandar um adiantamento para comprarmos matéria-prima de segundo grau. Tivemos que importar açúcar de Cuba, um açúcar muito do comunista, colhido por mãos companheiras. Enfim, encareceu o produto e não tivemos como não mandar a conta para o Barack velho de guerra. Michelle não gostou, mas fazer o quê? Todo mundo deve fazer sacrifício.

Na foto acima, o embaixador do Haiti mostra toda sua chateação com a feiúra do país, exposta ao mundo, especialmente as mulheres feias, esquálidas:

- Beleza é fundamental!



Escrito por Maridão às 01h37
[] [envie esta mensagem
] []





A saga da senha

 

Caríssimos clientes e clientas da loja, vocês devem ter notado (e se não notaram vão pastar, distraídos de um figa!) que estivemos ausentes do estabelecimento durante um tempo razoavelmente longo. Tem explicação. Estávamos - eu e a menina que trabalha no caixa - em viagem para Dubai, depois de ganhar 2 passagens numa promoção incrível.

Acontece que lá nas arábia tentaram me estorquir e os nazo habib queriam ficar com a menina como troco numa transação que me envolvi acerca de uns tapetes orientais.

Foram 1001 noites de tensão, mas no fim deu tudo certo e cá estamos de volta novamente para alegria dessa gente amiga e comilona.

Apesar dos percalços conseguimos nos escafeder daquele inferno escaldante e voltamos para a terra brasilis - que Deus nos perdõe pela burrice.

O fato é que antes de aeroportar nessas terras de luizinácio, passamos no palácio de buquirrã para participar de um leilão oficial da famigerada trufa de 100 mil euros.

Arrematamos.

Só para mostrar a esse povo dengoso e de auto-estima baixa que temos por aqui as bardaninhas cristalizadas que não deixam nada a desejar aos mais exigentes paladares.

E temos dito. E feito. E bem.

Eis a foto do sempre desatento Dagomir Alvoso que prova o que prova:

 

A almofada foi a tia Dirce que fez. Está acondicionada no bandejão da usp porque faltou uma travessa de porcelana da dinastia ming no momento do daguerreótipo.

 



Escrito por Maridão às 14h39
[] [envie esta mensagem
] []





Ela bate um bolão

A gente estava cansado de tanto ver marmanjo na área.

Outro dia apareceu por acá a dona Dilma. Ninguém merece. Mulher feia dá azar. Aquela então, persigno, benzadeus treis veis.

Mas nem tudo são trevas. Existem alguns trevos de quatro folhas.

Sorte nossa é que a moça resolveu visitar a laje para delírio de todos.

Rildão ficou de trazer um pintado de Bertioga pra gente assar alegremente.

Convidamos o Rodolfo para saborear as inesquecíveis azeitonas do Joaquim Roberto.

Eis o colírio para vossos olhos cansados de feiúra: Sharapova!

Meu jisuiscritinho! Taca essa raquete em nóis, Shara.

Dá um voleio, faz um ace que a gente quer mais é festa na laje!



Escrito por Maridão às 17h11
[] [envie esta mensagem
] []





Deu no Twitter

A margarina cresceu sonhando

ser modelo de publicidade.

Estar à mesa da família sorridente

era ser top entre as marcas gordurosas.



Escrito por Maridão às 22h18
[] [envie esta mensagem
] []





Poeminha no feriado

Azar mesmo teve aquela mina:

engravidou na clínica do estupador

... e morreu de gripe suína!



Escrito por Maridão às 11h20
[] [envie esta mensagem
] []





Festa é Festa

 

Não é mole não!

Sucedeu recentemente uma festa na laje e mandamos convite para muita gente, na esperança vã que apenas os bem cheirosos, educados e com grana comparecessem. Que nada. Doidos por uma boquinha, o petê mandou fretar um trem para comparecer ao evento - como mostra a foto do sempre desatento Dagomir Alvoso. A escumalha em polvorosa, com o recibo do bolsa família na mão, tentava se aproveitar do estoque de bardaninha cristalizada que disponibilizamos para o convescote.


Não fosse o solerte Nivaldinho e seus (dele) amigos da Baixa Casa Verde acho que a coisa estaria em pindarecos. Os manos do Nivaldinho, munidos de argumentos calibre 38 e justificativas R-15 puseram o povaréu em retirada ao som da primeira falácia. Sorte de quem ficou, como a ex-secretária do ambiente da sub-prefeitura da Casa Verde, doutora Marina Silvia, candidatíssima à sucessão do mané.

A tropa de choque do Nivaldinho estava mais ativa que a do Sarney - se bem que não tinha marimbondos de fogo para atacar, como o velho e mau Ribamar de Saint Louis - e após o despejos dos indesejáveis, rolou um sarau finérrimo.

Ao final dos finalmente, muita gente se desentendeu com a própria pessoa e muitos ainda buscam o seu (deles) interior perdido em alguma gaveta d'alma, conforme retratou o tranquilão Rosalvo na pintura abaixo.

A coisa ficou ainda mais linda de viver quando, após todos os viventes haverem evacuado a laje, a menina que trabalha no caixa me chamou ao vestiário para prestar serviços comunitários ao seu (dela) boss (eu).

O ponto negativo do evento foi o flagrante delito que reproduzimos abaixo, com explicações e notas de rodapé. Depois de ficar assaz e deveras excitado com o decote de Marina Silvia, Nivaldinho se excedeu na libidinagem e, na falta da ex-secretária, foi ter com minha consorte, a Gorda - conforme mostra o daguerreótipo de Dagô.

Desde o início, eu achava que alguma coisa não estava me cheirando bem, mas jamais imaginava que fosse registrado para a posteridade:





Escrito por Maridão às 12h03
[] [envie esta mensagem
] []





O bêbado e a equilibrista

Neste final de semana que passou feito um tufão, a turma que frequenta nossa laje experimentou sensações inéditas.

Nivaldinho - que agora encasquetou que encontrou sua (dele) vocação nas artes circenses - brindou os presentes com um número acrobático da mais alta periculosidade, tipo daqueles que em Olimpíadas o grau de dificultadade é 6,8.

A foto do sempre desatento Dagomir Alvoso prova o que minhas palavras não são capazes de narrar aos frequentadores da loja.

O momento foi de tensão total, mas no final, as pessoas fêmeas presentes foram ao delírio, enquanto as pessoas machos foram ao banheiro vomitar.



Escrito por Maridão às 10h00
[] [envie esta mensagem
] []





O pau tá comendo

Calma, meninas moças sedentas, não é nada disso que vocês estão querendo.

O tempo esquentou aqui na loja, mais especificamente na laje. Tudo por conta de um entrevo entre os rapazes.

Fernando ficou visivelmente irritado quando insinuaram que ele não era boa companhia e burlava as regras da macharia para ter privilégios na hora de traçar o pintado que o Rildão pesca na barraca de Bertioga. Pela cara do cara dá pra ter uma idéia do que ele seria capaz de fazer com a faca se o Nivaldinho não a estivesse usando para cortar bardaninhas cristalizadas para levar para São José.

- Se você disse que eu desafino, amor....

Como diriam na minha terra, o cara tava com cara de quem vai beliscar azulejo.

Depois que a turma do deixa-disso colocou água na fervura e Fernando. parou de paiaçada, a paz voltou a reinar na laje, especialmente porque a Gorda deu um vacilo forte e não percebeu que entraram algumas moças mais dadas no nosso festejamento. Explico: Castelo que havia lançado livro recentemente pegou um adiantamente de direitos autorais e pediu sugestões de como torrar a bufunfa. Ao que JR obtemperou:

- Conheço umas meninas...

Não precisou completar a frase, lá do fundo ouviu um vozerio:

- Manda trazer!

E assim caminhou nossa humanidade até altas horas, ao som dos boleros de Anísio Silva, Chico Alves e Vicente Celestino com seus tangos e tragédias.

 

Porém, depois que a festa pegou no breu e as meninas sem pudor passaram a exibir seus (delas) dotes, a Gorda maledeta apareceu para botar desordem na casa da mãe Joana e mandou as coitadinhas embora. Foram várias viagens na motoca do Nivaldinho. A Gorda nojenta não ficou regulando combustível - como sempre faz. Pra isso é mão aberta.

Sorte minha é que a menina que trabalha no caixa não pode ficar (não podia faltar na faculdade de comércio exterior) e consegui escondar uma beloça no vestiário para depois que os cuecas se evadissem. Aí invadi sem culpa.

- Ai meu Deus que saudade da Amélia...

 

A gente ficou no lesco-lesco até o dia clarear, quando então tive que deixá-la na Avenida Casa Verde sem lenço e sem documento. Prometeu voltar, por amor a arte e um punhadinho de bardaninha cristalizada. Pareceu sincera e nada interesseira. É ver pra crer.



Escrito por Maridão às 02h25
[] [envie esta mensagem
] []





Procurando Nemo



Escrito por Maridão às 20h39
[] [envie esta mensagem
] []





A questão das cotas

Todo mundo já deve saber e se não sabe cala a boca pra não expor a inguinorãnça que aqui na loja não existe essa depravação de democracia. Nana nina. Aqui é pelo sistema antigo. Tem dono e o cu do dono é que está na reta, portanto, sociólogos e assistentes sociais de todo mundo, uni-vos contra mim porque eu tô armado. Vem gelado que eu tô um frizer!

Outro dia, um frei (tradução: homem que usa saia e não trabalha) que não lembro o nome e se alguém souber não diga, promoveu um desfile de modelos e modelas  na escadaria do teatro municipal para intimidar a sociedade exigindo cota em desfiles para o pessoal de pele negra. A questão que o frei está levantando foi discutida outro dia aqui na laje e a turma foi taxativa:  existe gente feia de toda cor. O Costinha, por exemplo. O Kassab. Tem um monte de rascunho do mapa do inferno por aí. Não dá pra exigir cota pra tudo, senão vira zona. A Gisele Bintiên tá na passarela porque é bonita, magrela, tem peitão e bunda. Não tem nada a ver com a cor da pele. A Naomy Campbel que tem pele negra tá lá porque é um avião e se vier aqui pra laje vamos assediá-la, ora se vamos. Não ligamos a mínima para a pele dela, a gente quer o rosado, capisce?

Depois que o pessoal tomou uns goró e bateu aquela brisa, as discussões ficaram mais calorosas (principalmente porque Rildão deixou a churrasqueira a mil por hora e não colocou nada lá pra queimar) e teve neguinho reivindicando cada uma que se eu contar vocês não vão acreditar. Mas vou contar assim mesmo, seus céticos, frios e calculistas!


JR sugere a adoção de cota para atores não homossexuais nos elencos de novela, bem como atrizes casadas uma só vez. É um absurdo o que esse pessoal sofre de discriminação nos sets de gravação e nos camarins da vida. Muitos são olhados de soslaio, como se fossem portadores do vírus da gripe suína.

Rildão sugere que o sistema de cota contemple músicos que não usem drogas, compositores que não cheiram cocaina e cantoras que não namorem o Falcão do Rappa.

Coutão levanta questão muito importante em se tratando de discriminação e sugere cota para gordos em time de futebol. Não se pode privilegiar esse ou aquele (Ronaldo).

Betho, cheio de razão, sugere cota para que homens que só querem sexo sejam aceitos pelas mulheres que só querem relacionamento sério. Sexo é super sério, é só furar a camisinha pra você ver!

Eu, como estou sendo cotado para um cargo político na administração regional da casa verde, fiquei quieto e disse que acho que todo mundo tá certo, e se alguém espirrar... saúde!



Escrito por Maridão às 12h54
[] [envie esta mensagem
] []





Nossas Relações Internacionais

Como você já sabe e se não sabe não fale pra não expressar sua (sua ) ignorância publicamente, nossa (não se inclua) loja tem mantido intensas relações internacionais. Não como o presidente Lugo, do Paraguai, que mostrou ser um autêntico religioso made in Assunción, isto é, fez o voto de castidade, mas como um bom paraguaio era falsificado e comeu todas as virgens da capela.

Voltando ao nosso estabelecimento que é o que interessa, a Loja da Gorda tem recebido visitas de outras plagas, mas nada que venha do México, que pelamor de Diôs, a gente não gosta de carne de porco. Nossos churrascos na laje são tradicionais ao extremo: é pintado made in Bertioga by Rildão e ponto com, ponto beérre. Nunca na história de nossa laje entrou um torresminho à pururuca, um lombo suíno, nada semelhante - para tristeza do Coutão que é chegado na bisteca, mas quando vem para a laje com seu violão de 6 mil dólares, brinda a galera com os mais requintados sambas e nada de beliscar carne suina.

Recentemente, nosso en-viado especial, Nivaldinho foi estabelecer relações comerciais (quiçá homossexuais) com o leste europeu e deu (no bom sentido) um giro por Kosovo, Albania e Chechênia para divulgar nossa iguaria mais famosa, qual seja, a bardaninha cristalizada.

O moleque voltou ontem, cansado que só, no maior confuso horário. Mal sabe ele que estamos preparando uma baita festa surpresa para o Ronaldo Fenômeno de Oliveira. Ele garantiu que virá com uns amigos, mas não confirmou o sexo dos anjos. A Gorda ficou uma arara e disse que traveco não entra na laje. E não sou eu o besta a contestar a mulher brasileira mais cotada para estrelar a versão feminina do UFC.

No clic abaixo, do sempre desatento Dagomir Alvoso, nosso convidado bem trapalhão se refestela depois de mandar goela abaixo meia perna de carneiro, um quarto de pernil e dois kilos de jujuba Oberdã, sabor maçã.

- É proibido fumar na laje, mané!



Escrito por Maridão às 17h13
[] [envie esta mensagem
] []





A Praia e Nós

Estivemos na aprazível Bertioga para buscar um estoque de pintados que o Rildão disse ter pescado na barraca do Cadonho, mas infelizmente, não era nada daquilo. Rildão deu alarme falso e quase perdemos a viagem, não fosse a sereia que vimos tomando sol em doses homeopáticas, conforme confirma a foto do sempre desatento Dagomir Alvoso, fotógrafo desse blog e das estrelas.

- Obrigado Senhor!

Quando a gente deu (no bom sentido) com a visão paradisíaca, estendida e se tostando nas areias escaldantes de Bertioga, Betho disse sem mais delongas: que peixe, que nada... E JR, lépido e trigueiro, disse que a paisagem merecia comemoração e pediu um engradado de cerveja para usufruirmos do calorão que deu (no bom sentido) na gente.

Mas não pense o e-leitor desse blog e frequentador da loja que tudo foi um mar de rosas. Não foi. Nivaldinho teve uma crise de identidade e ficou vagando pelas areias se perguntando quem sou eu? quem sou? A gente falava tu é o Nivaldinho, um moleque muito do sem-vergonha que vai entregar bardaninha cristalizada pras freguesas e fica lá no lesco-lesco. E nada do Nivaldinho se aceitar enquanto ser humano.

Lá pelas tantas, a gente já meio tonto com tanta breja, o Rildão se encheu e falou tu devia é dar a bunda virado pra parede. Pra quê? Nivaldinho encarnou um Hamlet e ficou com uma cara de ser ou não ser que deu dó. Aí a gente achou melhor olhar pra posteridade da moça que estava estendida na praia e largar o moleque de lado. Quando a gente disse que tava na hora de ir embora (tinha jogo do Cortinthians e Santos), ele falou daqui não saio daqui ninguém me tira. E a gente não tirou mesmo. Na verdade, só o Dagomir Alvoso tirou sua (dele) foto vagando pra provar pra mãe do moleque que não foi por falta de chamar. Dá dó, mas tem hora que não tem jeito.

Olha só o moleque, pensando na morte da bezerra.

- É bom passar uma tarde em Itapoã...

 



Escrito por Maridão às 19h59
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]